« Pode-se enganar a todos por pouco tempo, pode-se enganar alguns o tempo todo, mas não se pode enganar a todos o tempo todo. » J. F. Kennedy

sábado, 7 de maio de 2011

Uma anomalia chamada LUA

“A lua é maior do que deveria ser, aparentemente mais antiga do que deveria ser, muito mais leve em massa do que deveria ser. Ocupa uma órbita incomum, e é tão extraordinária que todas as explicações existentes para a sua presença, são cheias de complicações e nenhuma pode se considerar, nem de longe, como clara.”
Isto é a lua, mas de certeza que nunca viram ninguém falar da lua deste modo. Nós ignoramos factos pois abraçamos “teorias científicas” como se fosse a verdade incontestável. As “teorias científicas” são na verdade, como o nome indica, teorias. A grande diferença é que são repetidas vezes sem conta, até que as pessoas as aceitem como factos.
Primeira teoria científica sobre a lua: teoria da colisão. Essa teoria diz que um grande planeta veio e colidiu com a terra, depois, um grande pedaço ficou para trás e, tornou-se a lua. Quando os físicos viram que isso não funcionava, fizeram então a sua 2º teoria: A teoria da dupla colisão. Esta explica que um planeta do tamanho de Marte, colidiu com a terra, afastou-se, e depois o suposto planeta pensou: “ahhh! Acho que vou bater outra vez, só que agora na direita ao invés da esquerda.”. E voltou a colidir. Que desesperados estão estes cientistas. A verdade é que os cientistas não fazem a mínima ideia de onde veio a lua, ela não deveria, pela física, estar ali…
Esta é uma pesquisa de um professor de bioquímica, Isaac Asimov: “não podemos fazer mais nada a não ser, chegar a conclusão que a lua não deveria estar lá. O facto de ela lá estar, é quase que um daqueles golpes de sorte que é praticamente bom demais para ser verdade… pequenos planetas como a terra, com campos gravitacionais fracos, podem muito bem ter carência de satélites… Em geral quando um planeta tem satélites, esses satélites são muito menores que o planeta em si. Portanto, mesmo se a terra tiver um satélite, deveriam haver todos os motivos para suspeita, e na melhor das hipóteses, a lua deveria ser um mundo pequeno, talvez com 30 milhas de diâmetro. Então a terra não só tem um satélite, como têm um satélite gigante com 2160 milhas de diâmetro. Impressionante…”
A lua é maior que Plutão, a lua têm uma perfeição matemática e geométrica em relação ao sol e a terra. Vemos isso num eclipse, quando a lua tapa perfeitamente o sol. Continuo a mencionar frases de grandes cientistas, por exemplo Irwin Shapiro, de Harvard: “ a melhor explicação para a lua é um erro de observação, a lua não existe.” Robin Brett, cientista da NASA : “parece que é mais fácil explicar a não existência da lua, do que a sua existência.”
Temos outra impressionante anomalia, o facto de a lua ser oca. Isto pode ser provado com o facto da NASA ter instalado medidores sísmicos na lua em 1969. Depois intencionalmente, provocaram um impacto equivalente a 1 tonelada de TNT, e a lua “tocou como um sino”, com um eco contínuo que durou 30 minutos. Outra prova como a lua é um planetóide oco, é apresentada pelo Dr. Sean Solomon do MIT , que é um estudo sobre o campo gravitacional da lua, que indica a assustadora possibilidade da lua ser oca.
Aqui nos aproximamos mais da verdade. Quando um grande veiculo colidiu com a lua, com uma força igual a 11 toneladas de TNT, os cientistas da NASA afirmaram que a lua, só não tocou como um “gigante bongo” por 3 horas e 20 minutos, como também a inteira lua balançou de uma maneira tão precisa, que foi como se ela tivesse uma estrutura de amortecimento hidráulico gigante por dentro.
2 cientistas soviéticos, escreveram para a revista Sputnik, uma revista de ciência da antiga união soviética, com a manchete: “ seria a lua a criação de uma inteligência alienígena?” Mikhail Vasin e Alexander Shcherbakov depois de 40 anos, poderão estar correctos, pois todos os factos apontam que sim. Nesse artigo eles apontam vários factos:” a superfície da lua é extremamente dura, e contém minerais de titânio. Foi descoberto que as rochas da lua possuem metais processados, incluindo o bronze e a mica, e elementos de urânio e neptûnio 237 que nunca foram encontrados na natureza. Urânio 236 tem uma longa vida de perda radioactiva nuclear, e é encontrado em gasto de combustível nuclear e urânio processado. Neptûnio  237 é um elemento metálico radioactivo e subproduto de reacções nucleares e produtor de plutónio.”
Algumas rochas têm 10 vezes mais titânio do que as rochas mais ricas em titânio da terra. Para que serve o titânio? O titânio é usado em jactos supersónicos, submarinos de mergulhos profundos e veículos espaciais. O Dr. Harold Vrey, vencedor do Nobel da química disse estar terrivelmente confuso com as rochas lunares, e particularmente com o seu conteúdo, titânio. Ele disse que as amostras são de estoirar os miolos e não tem explicação para todo aquele titânio.
O artigo escrito pelos 2 cientistas soviéticos, Dr. Vasin e Dr. Shcherbakov vai mais longe: “…se você lançar um satélite artificial, então é prudente que você o faça oco. E ao mesmo tempo seria ingénuo imaginar que, alguém capaz de tamanho projecto espacial iria se satisfazer, simplesmente com algum tipo de arca gigante vazia, arremessada próximo da trajectória da terra.” Eles explicam ainda: “ do ponto de vista dos engenheiros, essa nave espacial de muitas eras atrás, que nós chamamos lua, foi soberbamente construída.”
Esta é a teoria que faz mais sentido do ponto de vista cientifico, apoiada por muitos cientistas e escrita por estas 2 soberbas mentes soviéticas: “é mais provável que o que nós tenha-mos aqui, seja uma grande e antiga nave espacial, o interior é cheio de combustível para as máquinas, materiais e aparelhos de reparo, instrumentos de navegação, equipamento de observação e de todo o tipo de maquinaria… por outras palavras, todo necessário para permitir que essa “caravela do universo” sirva como arca de Noé, talvez mesmo casa de uma civilização inteira, prevendo a existência prolongada( milhares de milhões de anos) e longas viagens através do espaço( milhares de milhões de milhas).”
A carcaça da lua (nave espacial) é super-forte a fim de resistir aos impactos dos meteoritos, e oscilações de calor e frio extremos. A couraça tem 2 camadas, a base é uma blindagem escura de aproximadamente 20 milhas de espessura, por fora uma camada mais longa e fina, e por vezes inexistente, como irei mostrar. Esta minha explicação da estrutura da lua vai ao encontro do que o Dr. L. Anderson diz: “ a lua é feita de dentro para fora.” Professor de geofísica e director do laboratório do instituto de tecnologia da Califórnia, um homem bastante inteligente. Noutras palavras o que está fora deveria estar dentro e isso, suporta a ideia que a lua é oca.
Deixando por um pouco o palavreado científico, vamos ao encontro do passado, numa das mais antigas nações, os zulu, localizados na África do sul. Credo Mutwa, xamã da nação zulu e oficial contador de histórias, diz que os seus antepassados se referiam a lua como um ovo. Os zulu, como todos os povos da antiguidade, não são primitivos, apenas se referem a certas situações sobre forma de metáfora. É isso que os arqueólogos não entendem, não podem interpretar literalmente. Continuando, os zulu consideram a lua como um ovo, por uma razão. A lenda diz: “a lua foi trazida aqui há “centenas de gerações atrás” por 2 irmãos, Wowane e Mpanku, que eram lideres dos Chitauri (Annunaki, raça alien que nos controla). Eles eram conhecidos como os “irmãos água” e tinham “pele escamosa como um peixe”.” Esta historia bate exactamente certa, com as histórias antigas encontradas nas velhas tábuas de argila da antiga suméria, e por todo o mundo antigo. Historias de uma raça não-humana, que veio a terra da mesma maneira em todas as partes do mundo, tal como os povos do mundo antigo relatam. Os annunaki.
Por todo o mundo, os annunaki eram relatados da mesma maneira, as mesmas aparências, e eram liderados por 2 líderes, Enki e Enlil. Os 2 em todas as culturas são relacionados com a água e vistos como deuses peixe. Nomes diferentes para coisas iguais. O problema dos arqueólogos e historiadores é que se concentram apenas num ponto, quando deveriam liga-los uns aos outros.
Avançando na historia zulu: “as lendas de zulu dizem que Wowane(Enki) e Mpanku(Enlil) roubaram a lua em uma forma de ovo de um grande “dragão de fogo” e esvaziaram a gema até que ficasse OCO. Eles então “rolaram a lua através do céu para a terra” e causaram eventos cataclísmicos no planeta.” Aqui está a razão porque simbolizaram a lua como um ovo, não por serem primitivos. As lendas zulu também ditam que os Chitauri (Annunaki) ameaçavam mover a lua, se os humanos não fizessem o que eles mandavam, por causa da devastação que isso causaria. Isto explica os grandes eventos cataclísmicos que ocorreram há muitos milhares de anos na terra, que obrigou a um “reiniciamento” da civilização humana na terra, o que servia perfeitamente para os Annunaki fazerem esquecer as origens da humanidade e assim, infiltrarem-se facilmente.
Voltando a parte científica, os 2 cientistas soviéticos que já mencionei, falaram de uma protecção de 2 ou 3 milhas no exterior, seguida por 20 milhas de uma camada impregnada. Isto explica perfeitamente, as anomalias da lua em relação às suas crateras. A profundidade das crateras na lua é mínima, é sempre a mesma profundidade. Mesmo que as escalas do impacto sejam enormíssimas, e a cratera tenha um tamanho grande, a profundidade é sempre a mesma. Isto não se vê em mais lado nenhum, e não é explicado pela ciência moderna. Isto indica também a confirmação do escudo protector. É isso que alguns cientistas andam a alertar, a lua tem um sistema de amortecimento, uma camada intransponível. É claro, está a nossa frente!
Aqui estão as anomalias listadas num livro, chamado “A nossa misteriosa nave espacial, a lua”, escrito por um homem chamado Don Wilson, um experiente pesquisador da década de 70: “ Porque raio a lua é tão grande, e está tão distante para ser satélite natural da terra? Porquê que algumas rochas na lua são mais velhas que a terra, e sendo velhas (pelo menos) tanto como o sistema solar? Porquê que a lua vibra como um “gongo gigante”, transmitindo tremores a grandes distâncias, ao redor e através de si mesma? Como é que a lua pode produzir tantas contradições em dados de pesquisa?”
E aqui chego a um facto bem real e bem forte, para vos dizer que a lua não é o que pensamos. Em 2001, um conjunto de pessoas falaram no clube nacional de imprensa, em Washington. Internos do governo americano e de projectos espaciais, vieram mostrar evidências do que eles viram, provas de coisas que foram encobertas e nunca vieram a público. E uma dessas evidências foi contada por um homem, o sargento Karl Wolf, engenheiro de precisão electrónica e equipamentos fotográficos, da base da força aérea da Langley, virgina, que pertence a CIA. O que ele disse no clube de imprensa foi que foi chamado a um local da base, onde estavam a colocar os chamados  mosaicos, que são diferentes fotos que iam tirando da superfície da lua, e se juntavam para completar a paisagem. Eles tiveram problemas técnicos, e ele foi ajudar. O que ele viu, na superfície lunar, era algo de incrível, algo de inimaginável e não-humano. Nos mosaicos (fotos da lua) estavam formas geométricas que eram torres, torres muito altas e tinham coisas que pareciam radares prato, construções esféricas, que eram estruturas grandes demais. Algumas estruturas possuíam meia milha de tamanho. Outras pareciam estufas, existiam torres que lhe faziam lembrar as torres de resfriamento nas plantas geradoras de força.
Outras pessoas nessa apresentação do clube de imprensa, falaram constantemente como a NASA cria um borrão, ou remove qualquer artefacto não natural que eles mostram nas fotos da superfície da lua. O documentário Moon Rising, que recomendo (está disponível no Youtube) mostra algumas dessas fotos tiradas durante a missão clementina, em 1994, onde foram tiradas 1 milhão e 800 mil fotos da lua, e o que se vê é a superfície completamente “bloqueada”, borrada, apagada. O que existe por detrás desse “bloqueio”? vejam as fotos, estão na internet, e é assustador, e aposto que nunca as tinham visto. Um fotografo profissional estimou que, alguns daqueles borrões, tem o tamanho de 10 cidades de Los Angeles .É de ficar boquiaberto. Que estruturas são aquelas?
Para se saber lidar com este tipo de informação, temos que entender que estamos a lidar com uma tecnologia fenomenal, fora da nossa compreensão, de uma raça que francamente, está cá há mais tempo do que nós. Seja o que for que está naquelas fotos, não é natural, e temos de entender a capacidade desta raça Annunaki de compreender a realidade, de uma maneira que não compreendemos.
Esta gigante nave está posta de uma forma tão perfeitamente alinhada com o sol e a terra, e isso têm um objectivo. Olhemos para as estruturas construídas na terra, como a stonehege ou as pirâmides. São pontos de energia, focos de energia, e na opinião de alguns, poderão prejudicar o campo energético da terra e o nosso campo energético humano, de forma a vermos o mundo de forma errada, e eles se possam esconder e continuar a conspirar contra nós de uma maneira mais fácil. Lembro que existem mil e um factos e provas sobre a suspeita da construção destas estruturas, por humanos. Não foram os humanos que construíram estas infra-estruturas, foram os Annunaki. É simples, esta energia que vem do sol, interage com a lua, depois com estes focos de energia (construções megalíticas como as pirâmides) e assim o campo da terra e o nosso são prejudicados, e alteram a maneira como vemos a nossa realidade.
Se não acreditam na minha palavra, cá vai uma pesquisa de um dos homens mais brilhantes do mundo, um engenheiro chamado Alexander Tom: “ isto tudo parece muito estranho. As estruturas megalíticas (stonehege, etc.) que foram construídas na Europa ocidental eram frequentemente usadas, para observar os movimentos da lua e do sol, mas como pode a unidade de medida na qual estas estruturas foram baseadas, ser tão inteiramente bela com a circunferência desses corpos como a terra?” “a matemática que foi utilizada na construção das estruturas megalíticas na terra, parece ser a mesma da construção da lua, como pode isso ser?”. É simples, foram os 2 feitos pela mesma força, os Annunaki. Obrigado por lerem.   
  

“Nós mentimos a cerca de tudo.”
Bellcom/NASA insider

1 comentários:

Anónimo disse...

Tá fixe... e o comentário dito pelo Bellcom, pode confirmar muita coisa... Barça

Enviar um comentário